Picolés caseiros: simples, com ou sem iogurte




Que tal intercalar sucos diferentes, que vcs talvez nem provariam, com iogurte?

Pra simplificar: em um copo descartável, intercale camadas de frutas ou sucos não coados com iogurte grego. Mas entre uma acamada e outra, leve ao congelador por 30 minutos, para não misturar tudo.

Simples né? E fica assim:






Mas deixa eu dar mais umas diquinhas e explicar melhor pra quem quer incrementar:

- copinhos de 200ml de plástico descartáveis
- palitos de picolé, colheres de plástico descartáveis ou canudinhos
- 2 ou 3 frutas, couve, beterraba, cenoura... você escolhe os sabores e as cores, ou sucos
- iogurte de sua preferência, melhor que seja um grego que é mais firme.



1) Faça os sucos, misturando os ingredientes que preferir, mas sem coar.
Apenas tire os caroços grandes antes de bater (com pouca água, ou nenhuma).
Mas bata cada suco em pequena quantidade, na hora de colocar no copinho (você entenderá abaixo).



# Arrume os copinhos em uma travessa, para que fique organizado quando for congelar.



2) A primeira camada pode ser de iogurte grego, cerca de 1cm ou 1 dedo, em todos os copinhos.
Como ele é grosso, pode colocar devagarinho o primeiro suco que bateu (suco verde, de frutas com folhas, qualquer suco) sobre o iogurte ainda não congelado.



3) Leve ao congelador por 30 minutos para congelar tudo.

4) Bata o segundo suco.
Cubra o copinho com mais 1 cm de iogurte e coloque a segunda camada de suco variado, não coado, devagarinho, senão mistura com o iogurte.


5) Leve para o congelador mais 40 minutos, para que tudo fique firme.

Você pode repetir mais uma camada, se couber, ou finalizar com cubos de frutas picadas misturadas com o iogurte... tipo manga, banana ou kiwi com iogurte grego.

Deixe no congelador e só rasgue o copinho quando for servir.






Sirva em um pires ou prato de sobremesa, com alguma geléia, calda de chocolate amargo ou purinho mesmo :)

- Ao invés de palitos de picolé, pode usar canudinhos;
- Nem precisa fazer camadas, pode fazer o suco misturado com o iogurte, que fico cremoso;



Facim facim ;)





Air Fryer - finalmente testei :)




Bem, já fizemos pastéis dessas massas redondinhas para rechear, linguiças para churrasco, jiló, batatas, aipim (mandioca), bolinhos de bacalhau, peito de frango, cebola (com casca, igual fazemos no carvão, em churrasco, mas sem o papel alumínio), e ainda tem uma infinidade de comidinhas para testar.



Acho que valeu muito à pena. O namorado levou pra casa e corremos ao mercado comprar qualquer coisa que pudéssemos testar... e só depois vimos que tinha um cadernnho de receitas kkkkk.

Em alguns alimentos colocamos uma colherinha de azeite... por exemplo as batatas... cortamos com casca, rústica, temperamos com orégano e uma colherinha de sobremesa de azeite. Mexemos com a mão e arrumamos na Air Fryer.

Jiló, a mesma coisa.

As linguiças nunca ficaram tão boas. Nem fritas, nem assadas em forno e nem em churrasco elas ficam tão boas quanto no aparelho.

Bem, valeu a aquisição. Agora vou arrumar uma lá pra casa. Não fazemos quase nenhuma fritura na minha casa, mas esse aparelho não apenas evita o uso de óleo, como também faz milagres com qualquer alimento.

Os créditos dos preparos são do Artemus S2

Editado em 12/02/2014 ------ Esfihas !!!


Não esperamos muito, tentamos umas esfihas... massa caseira mesmo, recheio caseiro :)




 Ainda na Air Fryer, prontinhas para serem devoradas... nhamy !!





"Meu filho não come". Tem certeza?




A culpa nem sempre é do alimento, mas da forma como oferecemos, da consistência, se está quente, frio, salgado, doce, etc. A forma de preparo influencia até mesmo aos adultos, por que não influenciaria às crianças?


Quem souber a fonte da imagem, por favor me diga. Não achei nem no google imagens.


Por exemplo, conheço pessoas que AMAM qualquer tipo de carne... mas calma lá. Na verdade amam qualquer tipo de carne desde que ela não esteja envolvida em caldo.

Estrogonofes, carnes ensopadas, sopas e similares não descem nem com muita fome. Mas um assado, grelhado, churrasco, medalhão, carne de panela sequinha... aí sim, comem com gosto.

Então antes de dizer que a criança não gosta de determinado alimento, tente oferecer este mesmo alimento das formas mais variadas que você puder. Depois tente de novo as que ela não aceitou.

Quem sabe acostumando com o sabor, a criança comece a aceitar novas formas de preparo?

Fica a dica :)





Temperos caseiros prontos




Tempero caseiro pronto - contra a preguiça ou cheiro de alho quando cozinhar :)



Bem eu faço 2 versões, mas não coloco sal em nenhuma dela:

1. Apenas alho.

Processar 1 por 1 sem fazer pasta.

No site "frugalfamilyhome.com" indica congelar em mini-porções.

Descasco cerca de 2 xícaras de alho e passo dente por dente no processador, no modo pulsar, para que não vire papa. Ele fica granulado. Jogando 1 por 1 dá pra bater uns 10 dentes antes de recolher tudo pra bater mais.

Guardo em potinhos fechados, que uso só pra isso, pois o cheiro nunca mais sai do pote :)

Também não coloco sal pro caso de precisar fazer algo sem sal pra alguém.

Dura uns 5 dias na geladeira, mas quem cozinhar pouco, faça apenas 1 xícara.

Depois de 5 dias ele começa a escurecer e fica com sabor de alho industrializado e oxidado.

2. Cebola





Eu coloco separado pois as quantidades variam muito de receita pra receita.

Dura uns 2 dias na geladeira, mas eu prefiro congelar por no máximo 7, em pote compridinho. Assim posso cortar o pedaço que preciso com facilidade, mesmo congelado.

Descasco 4 cebolas grandes, corto em 8 cada uma e passo no processador no modo pulsar.

Os pedaços pequenos, processados 1 por 1 evitam que a cebola vire papa e solte a água, que dá o sabor.

Assim tenho cebolas miudinhas, granuladas, para usar quando quiser.


3. Alho e pimenta calabresa



Para as 2 xícaras de alho descascado eu usaria 2 colheres de sobremesa de pimenta calabresa.

É um tempeiro picante e saboroso mas cada um sabe a quantidade que deve usar.

Pra mim, essa proporção fica mediana em sabor e picância. Querendo mais, adiciono à receita, assim como faço com o sal.


4. Alho e gengibre



Mesma coisa. É só processar pedaços de gengibre e misturar ao alho. Eu faria 3 partes de alho para 1 de gengibre, mas vá testando.

Quando misturar, a cada xícara de alho e gengibre, junte 2 colheres de óleo canola.




OBS: TEMPERO VERDE



Não tem como conseguir o sabor íntegro do cheiro verde em temperos assim. O alho você precisa fritar para não ficar ruim. Se você fritar o cheiro verde junto, o sabor vai desaparecer, mas algumas pessoas colocam pra "parecer" mais saboroso. Bem, mais bonito fica !

Portanto o cheiro verde SEMPRE é adicionado às receitas ao final, antes de desligar o fogo. Depois de desligar tampa a panela e deixa as folhinhas picadas soltarem o sabor no preparo, na panela :)


Mousse diet e com 2 ingredientes: super rápida




Ontem foi mais um dia de "vontades absurdas" de comer um docinho, mas nós não usamos açúcar.
Daí tivemos a ideia de testar uma receitinha de frozen yogurt.

Bem, frozen não saiu. Primeiro por causa da pressa de comer, segundo pela falta de paciência de bater.

Nisso nasceu a MOUSSE DE FRAMBOESA:


- 2 potinhos de iogurte grego (natural tradicional mas pode ser diet)
- 1 caixinha de gelatina diet (usamos framboesa)

Preparo:
Despejar o pacotinho de gelatina direto NA BATEDEIRA (muito importante não usar liquidificador).
Despejar 200ml de água quente para dissolver, ao invés dos 250ml indicados na embalagem.
Depois despejar mais 200ml da água fria e bater um pouquinho pra misturar e dissolver bem.
Despejar os 2 potinhos de iogurte, bater uns 3 a 4 minutinhos para aerar.

Deixar no bowl da batedeira mesmo e levar ao congelador por meia hora.
Tirar e bater mais 3 minutinhos e deixar congelar.

Vamos confessar: deixamos só mais 30 minutos no congelador e devoramos.
Se vc deixar mais tempo vai ficar tipo sorvete. Comemos como mousse, e ficou perfeito desse jeito.

Prontinho !!!  :)

Diquinha? Use qualquer sabor de gelatina. Com frutas picadas que vai dar super certo ;)





Mamão com creme: pra quem está economizando calorias.




Doce? Tá com vontade? Mas assim, morrendo de vontade de comer doce?



- 1 mamão papaia pequeno (maduro mas firme) e picado
- 1 pote de iogurte natural
- algumas gotas de essência de laranja ou baunilha
- Adoçante sucralose caso queira mais docinho.
- Farinha de linhaça (opcional)

Deixe o mamão picado no congelador uns 15 minutos
Misture a essência com o iogurte e adoce aos poucos até ficar no ponto que você preferir.
Salpique um pouco de linhaça dourada, pra dar um gostinho de castanha.

Se quiser pode salpicar granola pra ficar crocante, mas bem pouquinho.

Fonte: a imagem é de uma receita da Cinthya Maggi, mas resolvi preparar essa do meu jeito :)


Perfil hackeado, página roubada !




Pois é... meu perfil foi hackeado dia 04/11 e recuperado. Mas a página, que foi roubada, ainda não foi recuperada. Aguardando a lerdesa do facebook 





Podem ver lá postagens minhas, e muitas imagens com meu endereço.
Ah, e pode apagar à vontade (seja lá quem a roubou), pois já tenho print e pdfs de tudo que postei e que indique que seja minha essa página.



Zero gordura trans?




As pegadinhas das tabelas nutricionais: você pensa que está consumindo um produto mais saudável (e até pode ser se comparado com muitos outros)... só que não !



Peguei um produto aleatoriamente, colocando no Google "biscoito integral". Primeiro vamos entender a diferença de óleos e gorduras:

- O ÓLEO é um lipídio mole, líquido em temperatura ambiente e às vezes até em refrigeração consegue se manter líquido... normalmente de origem vegetal.

- A GORDURA é um lipídio duro, sólido em temperatura ambiente.. normalmente é de origem animal, mas a indústria alimentícia e a sua frigideira deram um jeitinho de transformar essa gordura inicialmente inofensiva em uma substância dura, sólida.

Quando você usa muitas vezes um óleo em fritura ele fica mais denso, tanto pelas reações e evaporações que acontecem com a queima, quanto pela mistura de gorduras vindas do alimento que você fritou.

No caso da indústria, dizemos que a gordura tem conformação TRANS, pois passou por processo de saturação. O mais conhecido é a hidrogenação (gordura hidrogenada).

MAS NÃO SE ENGANE !!! Como a "gordura trans" é limitada nos alimentos, hoje, já temos muitas outras reações de endurecimento de gorduras (saturação), para fazer:

- doces;
- recheios: biscoitos recheados "sem gordura trans";
- Alimentos crocantes: frituras em gordura hidrogenada sempre fazem mais "crec crec"... tente fritar batatas nessa gordura hidrogenada ou banha (vende em supermercado pra fazer empada) e você nuca mais vai ver suas batatas fritas da mesma forma;

E outros alimentos crocantes, aerados, recheados, etc.


Voltando ao exemplo que achei, do biscoito "feito com 3 cereais - integral":


A tabela nutricional dele, num site de supermercado, diz que ele tem ZERO de gordura trans.
Mas nessa tabela  dá pra ver que ele tem 3,1g de gordura SATURADA. A ANVISA permite apenas 2,0g pra usar o claim "livre de gordura trans", apesar que na embalagem ele diz apenas que é "zero% de gordura trans" - uma forma de contornar a verdade não acham?

Informação Nutricional
Porção de 25g (4 biscoitos)
Valor Energético - 122 kcal
Carboidratos - 14g
Proteínas - 2,0g
* Gorduras totais - 6,4g
**Gorduras saturadas - 3,1g 
***Gorduras Trans - 0g
Fibra alimentar - 1,0g
Sódio - 278mg

Composição do produto:

Farinha de trigo enriquecida com ferroe ácido, gordura vegetal, açúcar, leite desnatado em pó, soro de leite em pó, sal, queijo cheeder em pó maltodextrina, glicose, amido de milho, orégano, condimento preparado sabor de pizza (sal, tomate, amido, maltodextrina, óleo vegetal, pimenta vermelha, manjericão, orégano, cebola e alho, alimentos tratados por processo de irritação), fermentos químicos: bicarbonatos de amônio, bicarbonato de sódio fosfato monocálcio, realçador de sabor: glutamato monossódico, estabilizante: licitina de soja, aromatizante. Pode conter traços de ovo.

* Onde estão as outras gorduras, das totais? O produto tem gordura e óleo vegetal... sendo gordura, pode ser do leite (citado) ou de óleos hidrogenados.

** Essa gordura saturada veio (também) da "gordura vegetal" que é citada na composição do produto, além do leite.

*** Gordura trans, no caso, é um óleo que sofreu hidrogenação. Mas hoje existem outras reações que deixam os óleos consistentes e saturados.

Conclusão: as gorduras que fazem mal à saúde foram mesmo abolidas dos alimentos? Acho que não!

Quer um outro exemplo? Vá até sua geladeira e procure o pote de margarina. Olhe a tabela nutricional:


Qualy

Peso médio 10g (1 colher de sopa)
Valor energético 72 kcal
Carboidratos - 0 g
Proteínas - 0 g
Gorduras Totais - 8,0 g
Gorduras Saturadas - 2,0 g
Gorduras Monoinsaturadas - 2,0 g
Gorduras Poliinsaturadas - 3,7 g
Gorduras Trans - 0 g
Colesterol - 0 mg
Fibra Alimentar - 0 g
Sódio - 60 mg
Vitamina A - 45 mcg

E agora procure a composição dessa margarina:

Óleos vegetais líquidos e interesterificados... (parou aqui).

O que a alguns artigos dizem?

Interesterificação (randomização do ácido graxo) de gordura vem se tornando rapidamente uma técnica de modificação alternativa, em que a inserção de ácidos graxos saturados, tipicamente o ácido esteárico (18:00), é empregado para endurecer um óleo para ficar com a plasticidade comparável à gordura antes trans das preparações ou com a dureza de uma gordura saturada natural.

Referência:
Sundram K, Karupaiah T, Hayes K.. (2007). "Stearic acid-rich interesterified fat and trans-rich fat raise the LDL/HDL ratio and plasma glucose relative to palm olein in humans.". Nutr Metab. DOI:10.1186/1743-7075-4-3.

O Dr. Mercola (EUA), em seu site diz que a gordura interesterificada chega a favorecer o aparecimento de diabetes, e diminui o colesterol bom, o HDL. Este estudo (clique) confirma que, assim como a gordura trans, as interesterificadas aumentam os níveis do colesterol ruim, o LDL.


Conclusão: continuamos ingerindo gorduras saturadas e quimicamente modificadas, só que com outros nomes, que são tão prejudiciais quanto as gorduras trans !


Sorvete de mamão: 2 ingredientes e rápido




A vontade de comer doce me dominava, e lembrei que ontem havia colocado alguns mamões, que maduraram rápido pra congelar. Como sempre gostei de vitamina de mamão (com cereais, ou só aveia) e eu amo sorvete, achei que poderia dar um jeito nisso.

Fica um creme mais claro que o mamão.



Ingredientes:
1 mamão papaia médio
200ml de leite integral (sim, desnatado não daria tão certo)

*se o mamão não for tão doce, tente umas gotinhas de adoçante

Método:
O mamão estava congelado de véspera (método 1 - deu certo)
Coloquei o leite no copo do liquidificador, depois o mamão picadinho.
Bati até ficar cremoso.

Importante: pra não prender a hélice e ela ficar rodando no meio da bolsa de ar que se formaria, coloque primeiro o líquido quando for bater algo !

A gordurinha do leite integral vai dar uma emulsionada, uma cremosidade leve nessa combinação. E nem é muito se você comparar a maioria das receitas de sorvete caseiro, que usam creme de leite ou outras gorduras

O importante é o mamão estar congelado. Então coloca de manhã, e de tarde, quando bate aquela hora mais ansiosa e de acúmulo do estresse do dia, em que mais temos vontade de comer doce, já teremos o mamão congelado pra fazer.

Ah e eu demorei 2 dia pra postar a receita. Por que?

1) Fiz primeiro com mamão congelado de véspera sem descongelar + leite integral,  e comi 30min depois de ir ao congelador:
- Ficou bom, não descongelando e ficando direto no congelador. Praticamente comi "na hora". Esse é o método que eu fiz e DEU CERTO de cara.

2) Fiz com mamão congelado de véspera sem descongelar  + leite desnatado, e comi na hora também, 30 min depois de ir ao congelador:
- Não fica tão cremoso e você sente mais o gelo. Mas é bom também, apesar de preferir o primeiro.

3) Fiz com mamão só gelado + leite desnatado:
- Não dá certo, depois dos 30 minutos de congelador ele não congelou, e o sorvete ficou um pouco engrumado. Dá pra notar que o mamão deu uma quebrada na proteína do leite e ele deu uma talhada, mesmo indo gelar. A enzima do mamão é bem forte e consegue amaciar carnes.


Vendo o que aconteceu com o de leite desnatado e mamão apenas gelado é que eu notei que isso acontece com as vitaminas que faço. Ele "engruma" (forma micro pelotinhas de leite) depois de alguns minutos, quando sobra no copo.

Outra coisa, é que eu resolvi bater o que sobrou do que deu certo (o primeiro) uma segunda vez pra ficar mais cremoso (quebrar mais os flocos de gelo, batendo depois de quase todo congelado, pra dar cremosidade é comum em sorvetes caseiros) e também não foi boa ideia pois isso ajudou a descongelar, e depois acontece o mesmo que nos outros: o sorvete fica com gruminhos de leite.

Conclusão: sorvete de mamão com leite, sem nenhum outro componente, totalmente natural como eu fiz, só se não for descongelar, se for comer na hora e apenas com mamão congelado.

O próximo quero fazer com aveia e linhaça. Os mamões já estão madurando (espero que ninguém os cama antes ).


Panelas




É muito comum pensarmos duas vezes... ou 3... antes de preparar uma refeição. Mas nem sempre o motivo está em não saber cozinhar, ou na preguiça de se dedicar ao preparo, e sim em ter que limpar as panelas depois.

Não é dificil encontrar grande variedade de panelas com a promessa de "não gruda", ou "não usa óleo" e a maioria delas tem revestimento de um material chamado teflon, ou polietrafluoretileno (oi?). Enfim !

Além dessas revestidas, a maioria deve conhecer mais 1 ou 2 opções. Mas você já parou pra pensar se a panela que você usa influencia na sua comida? Ou pior, na sua saúde?

Então, chegou a hora de saber um pouquinho mais sobre esse item indispensável em qualquer cozinha.




Panelas Esmaltadas: Nessa categoria se encaixam as Le Creuset (suspiros) uma verdadeira decoração de cozinha. De origem francesa essas graciosidades são feitas de aluminio ou ferro, e revestidas com esmalte antiaderente. Apesar de lindas, são um grande problema em alguns casos. As fabricadas antes de 1980 foram revestidas com esmaltes à base de chumbo e cádmio, que são metais pesados e acumulativos no organismo. As mais recentes obedecem o padrão da ANVISA, são mais seguras e não transferem nenhum material toxico para a comida.



Panelas de Cobre: são resistentes à oxidação, espalham bem o calor e são ótimos objetos decorativos para quem gosta de uma cozinha bem no estilo interiorano. O problema é que o cobre migra facilmente para os alimentos que, mesmo em pequenas quantidades, pode causar intoxicação. Especialmente na cocção de alimentos ácidos. A intoxicação por cobre causa náuseas, vômitos e diarréia. Se essa ingestão for em longo prazo pode levar a danos renais, problemas ósseos, articulares e danos cerebrais. Vi algumas referencias de que se forem revestidas com teflon, titânio ou aço esse cobre no alimento diminui consideravelmente.



Panelas de Ferro: São parte da cultura culinária, especialmente a mineira. Aqui no interior do estado também vejo bastante. Antigamente eram parte dos cuidados contra anemias justamente por liberar ferro na comida (lembram do prego enferrujado no feijão?) e manganês em menor escala. Utensílios de ferro também liberam ferro, mas sinceramente, para o paladar isso é terrível. Não recomendo também porque o excesso de ferro, pouco divulgado, é ainda mais prejudicial. Esse ferro liberado aumenta também por causa do tipo de alimento, por exemplo, alimentos ácidos e o teor de água (calor úmido). O tempo de cocção também influencia.


Panelas de Alumínio: Bem popular e mais barata, elas também liberam seu metal nos alimentos. Alumínio é prejudicial à saúde e tem ligação com mal de Alzheimer e de Parkinson. A acidez ou alcalinidade (alimentos básicos), o tempo de cocção, o tipo de liga de alumínio, uso de sal e açúcar, dentre outros, vão influenciar na quantidade do metal que será transferida pro alimento.  Um grande problema também é o uso de esponjas de aço, que removem o óxido de aluminio (recobre a panela). Esse óxido diminui a passagem de aluminio para o alimento. Dica: com o tempo essas panelas formam uma camada escura. É feio mas não é sujeira. Ela evita que o alumínio seja transferido para o alimento. E as panelas de pressão transferem ainda mais alumínio!



Panelas de aço inox: são mais usadas profissionalmente. Tem revestimento triplo no fundo e atingem altas temperaturas (apesar de demorar um pouco mais para esquentar, também demora a esfriar), cozinhando por igual e sem grudar. Também são mais bonitas e resistentes. Aço inoxidável é uma liga composta de ferro, cromo e níquel, e não se sabe de contaminação dos alimentos pelos metais AINDA. O cuidado que se deve tomar é não arranhar, escovar ou usar esponjas de aço na panela para não prejudicar o polimento que forma uma barreira protetora.



Panelas de Vidro: Pode-se dizer que são as únicas que não transferem nenhum material para a comida e são super fáceis de limpar. Os alimentos não grudam, elas tem uma boa manutenção do calor e o óleo usado em frituras pode (mas não deve) ser reaproveitado algumas vezes. É realmente uma cocção limpa, mas não são perfeitas. Essas panelas são frágeis e essa característica de manter a temperatura exige certa prática, pois, para os cozinheiros mais desavisados, elas podem facilmente queimar os alimentos.



Panelas de pedra sabão: Muito bonitas e decorativas, são antiaderentes e com boa retenção de calor. O material usado é o estealito, uma rocha. Na verdade, durante o cozimento ela libera cálcio, magnésio, ferro e manganês em pequenas quantidades (não vejo problemas). Não devem ser usadas para armazenar alimentos pois liberam níquel depois de certo tempo (aí sim tem problema). Precisam ser curadas (queimadas com óleo por 2 horas) no primeiro uso, e são compradas cruas, bem clarinhas. São relativamente pesadas.



Panelas de barro:  Tradicionais aqui no Espírito Santo, nossas panelas são feitas principalmente pelas paneleiras locais e são utensílios básicos para fazer uma boa moqueca capixaba. Também precisam ser curadas em óleo (queimadas por 2 horas), e aqui no estado as "curas" são feitas em fogueiras ao ar livre. Depois de queimadas são cobertas por tanino. Não se sabe de contaminação por essas panelas.



Panela de Cerâmica: Essas panelas também passam por tratamento termico. Ao final são finamente vitrificadas. Essas panelas exigem um selo de qualidade, garantindo a inexistencia de chumbo em sua superficie. As que tem mais de 20 anos devem ser evitadas, pois foram feitas em época que não se tinha um controle de qualidade com o chumbo.






Panelas Antiaderentes: são específicas para diminuir e até evitar o uso de óleo no preparo. Infelizmente não há tantas observações a serem feitas pois o material antiaderente - teflon ou PTFE - é um plástico que pode se desprender com alguma facilidade ou arranhar. Dessa forma o metal fica extremamente exposto, praticamente inutilizando as panelas em pouco tempo.



Panelas de Titânio: O titânio é o segundo elemento na natureza em dureza, pedendo apenas para o diamante. A maioria na verdade tem uma base de outra liga (como o alumínio) e recebe um revestimento aerado de titânio. Vi relatos que nem calda de açúcar gruda numa dessas. Não arranham se usar ferramentas de metal ou cortantes. Muito fáceis de lavar. Eu tentei achar os defeitos dessas panelas, mas a única coisa de complicada delas é o valor. Uma caçarola pode custar R$ 400,00.



E então, qual (ou quais) você escolheria para a sua cozinha? O que levar em consideração?

As informações foram retiradas de sites da internet, livros, revistas, artigos e materiais de aulas, aliados a um pouco de observação prática.